sábado, 18 de maio de 2013

Sete Lagoas/MG - Prefeito teria revisto posição e já vê com bons olhos Guarda Civil Municipal no trânsito

Guarda municipal deve voltar a atuar no trânsito na cidade / Foto: Quin Drummond

Já sob o comando da secretaria municipal de Trânsito e Transporte Urbano, Seltrans, a Guarda Civil Municipal, GCM, está próxima de voltar a fiscalizar o trânsito da cidade. Apesar de ter dito, mais de uma vez, que o lugar da GCM é nas escolas e bens públicos, o prefeito Marcio Reinaldo teria revisto sua posição e já considera como positiva a participação da corporação no trânsito.

Uma fonte próxima ao prefeito informou que o secretário de Trânsito, Ten.Cel Sílvio, teria convencido o prefeito de que é importante a atuação da GCM na fiscalização de motoristas infratores. “O secretário mostrou para o prefeito que é importante a participação da Guarda e Marcio Reinaldo ficou convencido”, informou a fonte.

Ainda de acordo com o informante o novo efetivo da corporação, que está sendo selecionado no concurso, será importante nesse processo. “Na próxima semana teremos uma reunião e devemos ter mais informações sobre o assunto”, finalizou.
 
Fonte: Marcelo Paiva/Setelagoas.com
 

sexta-feira, 17 de maio de 2013

Itajubá/MG - Guarda Municipal recebe doação de uniforme de inverno

Secretário de Defesa Social, Nilton Gonçalves de Almeida e comandante da Guarda Municipal, 
Reginaldo Monteiro, recebem agasalho do representante do Grupo GP, Alan Francisco

A Guarda Municipal de Itajubá recebeu a doação de sobretudos para os 15 elementos que compõem o seu efetivo. A doação foi feita pela empresa de segurança patrimonial, Grupo GP, que presta serviço em vários estados do país. Em Itajubá, tem como cliente a Helibrás. 

O secretário municipal de Defesa Social, Nilton Gonçalves de Almeida, relatou que havia comentado com o responsável pela segurança da Helibrás, Coronel Paulo Cardoso, sobre a necessidade de agasalho para os componentes da guarda municipal, relatando que o processo de aquisição desse quesito do uniforme pela prefeitura demandaria um longo tempo. Ciente da importância da guarda municipal para a cidade, o Coronel intermediou a parceria público-privada para obtenção dos agasalhos.

 
Autoridades e empresários presentes na entrega do agasalho, registraram o momento

Vale ressaltar que os guardas municipais têm se empenhado no trabalho diurno e noturno para atender, a contento, as necessidades da comunidade. Uma senhora que passava pelo local, enquanto os guardas recebiam os uniformes, fez questão de parar e dar os parabéns a eles pelo trabalho. “Os guardas são, antes de tudo, seres humanos e merecem todo nosso respeito e atenção. Estamos fazendo o possível para valorizá-los, como a concessão do adicional de periculosidade incorporado aos vencimentos do nosso efetivo”, ressalta o comandante Reginaldo Monteiro. 


 
Guardas com os agasalhos recebidos do GRupo GP

Estiveram presentes na entrega dos uniformes o secretário municipal de Defesa Social, Nilton Gonçalves de Almeida, o comandante da Guarda Municipal, Reginaldo Monteiro, o gerente de operação do Grupo GP, Alan Francisco, que representava o vice-presidente do grupo, José Jacobson, o empresário Dom Cesário e o responsável pela segurança da Helibrás, Coronel Paulo Cardoso. 

Fonte: Prefeitura Municipal de Itajubá-MG

quarta-feira, 15 de maio de 2013

BH/MG - Guarda Municipal assinará o Plano Operacional Integrado de Mobilidade do Entorno do Estádio Mineirão

Foto: Divulgação

Minas Gerais está em contagem regressiva para a Copa das Confederações 2013. Daqui a exatamente um mês, Brasil e Japão darão o pontapé inicial para um dos maiores torneios do futebol. Escolhida como cidade-sede em novembro do ano passado, Belo Horizonte foi apontada como “a número um” pelo secretário geral da Fifa, Jérôme Valcke, em recente visita à cidade. E os motivos para a escolha são diversos.

Depois de um processo de reforma que durou 2,5 anos, o Mineirão cumpriu todos os prazos estipulados pela federação e foi o segundo estádio a ser inaugurado para a Copa das Confederações 2013 e o Mundial de 2014.

Além disso, o Gigante da Pampulha foi o primeiro estádio da Copa a receber um amistoso entre seleções nacionais após sua reinauguração e é até agora o estádio mais testado. Foram 13 eventos no total, sendo dois shows internacionais (Elton John e Paul McCartney), com um público acima de 30 mil pessoas em mais da metade deles.

Outro fator importante foi o pioneirismo do Estado ao inaugurar, no dia 15 de abril, a Sala de Situação e Gerenciamento de Crises e Grandes Eventos, que reúne instituições governamentais para otimizar as ações em situações de emergência. Nas instalações, os órgãos da Secretaria de Estado de Defesa Social (Seds) e da Defesa Civil trabalham de forma integrada para garantir a segurança nos grandes eventos culturais.

A capacitação de profissionais e voluntários para as copas do Mundo e das Confederações também tem sido prioridade nas ações desenvolvidas pelo Governo de Minas. Entre as iniciativas estão parcerias com entidades públicas, como o Governo Federal, e privadas para a realização de cursos em diferentes áreas, com investimentos que somam cerca de R$ 10,8 milhões.

Em conjunto com a Secretaria de Estado de Ciência, Tecnologia e Ensino Superior (Sectes), estão sendo realizados cursos de línguas e empreendedorismo que aproveitam a estrutura dos 84 Centros Vocacionais Tecnológicos (CVT) e dos 487 Telecentros do estado. Em parceria com o Sebrae e Sest/Senat são disponibilizadas 26 mil vagas para cursos em diferentes áreas até 2014, entre elas receptividade, hotelaria, motorista de ônibus e outros. Em 2011 e 2012, cerca de 12.600 profissionais foram formados somente na capital.

No setor hoteleiro, Belo Horizonte contará com dois novos hotéis em funcionamento para a Copa das Confederações, um em Belo Horizonte e outro em Contagem, totalizando 460 novos leitos. Serão, no total, 422 hotéis, com 33 mil leitos no estado até o evento.

Logística e saúde no foco

No Aeroporto Internacional Tancredo Neves, em Confins, duas novas pontes de embarque estarão operantes, em substituição às antigas. Os elevadores centrais e a praça de alimentação também serão substituídos. A nova via de acesso ao Terminal de Passageiros, inclusive estacionamentos B,C,D e E, estão prontos e disponíveis para o público. O estacionamento A será disponibilizado em breve, tal qual parte da modernização da Central de Utilidades.

Os preparativos na área da saúde priorizam a vigilância e assistência, bem como urgência e emergência médica. Os preparativos na área priorizam a vigilância e assistência, bem como urgência e emergência médica. O plano de prevenção aborda incidentes que possam ameaçar a saúde da população em todo território mineiro, disseminação de doenças infecciosas e enfrentamento de epidemias, além do atendimento a múltiplas vítimas.

No último dia 11, a Secretaria de Estado de Saúde (SES), em parceria com a Secretaria de Estado Extraordinária da Copa (Secopa) com a Associação dos Hospitais de Paris e o SAMU da França, promoveram um simulado de catástrofe, com o objetivo de preparar os hospitais para situações de Urgência e Emergência durante a Copa das Confederações e a Copa do Mundo, além de capacitar ainda mais os médicos e enfermeiros que irão trabalhar durante os eventos esportivos.

Além disso, no final deste mês, o plano operacional integrado de mobilidade do entorno do estádio Mineirão será assinado em conjunto pelos órgãos envolvidos nas operações dos jogos da Copa das Confederações: Secretária de Saúde Estadual e Municipal, Secretaria de Estado Extraordinária da Copa do Mundo, Polícia Militar, Polícia Civil, Polícia Federal, Corpo de Bombeiros, Guarda Municipal e BHTrans.

Outra conquista importante da cidade será a distribuição do sinal de transmissão dos jogos enviado diretamente do Mineirão. O estádio vai abrigar o Centro Internacional de Coordenação de Transmissão (IBCC, na sigla em Inglês) na competição. A instalação dos cabos começa em 21 de maio. Até o momento, emissoras de 192 países estarão aptas a receber os sinais distribuídos pelo IBCC em Belo Horizonte.

A capital mineira receberá três jogos da Copa das Confederações, dois da primeira fase, os confrontos entre Taiti e Nigéria, no dia 17, e Japão e México, no dia 22. O Mineirão receberá também uma das semifinais, possivelmente com a participação da Seleção Brasileira, caso o time se classifique em primeiro lugar do grupo A.

“A Copa das Confederações vai testar várias estruturas do Estado. Estamos seguros de que os visitantes, equipes e organizadores sairão satisfeitos com o Mineirão e também com a hospitalidade mineira”, destacou Tiago Lacerda, secretário extraordinário de Estado da Copa.

Campo Oficial de Treinamento

A Fifa selecionou o estádio Independência e o Sesc Venda Nova como Campos Oficiais de Treinamento (COT) para as seleções que jogarão em Belo Horizonte durante a Copa das Confederações da Fifa 2013. A arena do Horto ficará disponível para treinos das seleções da Nigéria, México e um semifinalista. Já o clube de Venda Nova vai receber Taiti, Japão e um semifinalista. No grupo A estão Brasil, Japão, México e Itália. No B, Espanha, Uruguai, Taiti e Nigéria. Os COTs são usados apenas para treinamento exclusivo das equipes da competição.

Fonte: De Fato Online

BH/MG - BHTrans e PM admitem falha na fiscalização do trânsito na capital e contam com a ajuda da Guarda Municipal

Órgãos perderam a capacidade de gerenciar a circulação da frota de 1,5 milhão de veículos, devido à redução drástica de agentes

Blitz parou motociclistas na Praça Tiradentes, no cruzamento das Avenidas Afonso Pena e Brasil


O aumento vertiginoso da frota, que já passa de 1,5 milhão de carros, e a redução do número de agentes deixaram a fiscalização de trânsito deficiente em Belo Horizonte, admitiram ontem representantes do Batalhão de Trânsito (BPTran) e da BHTrans, empresa que gerencia o sistema, durante audiência pública na Assembleia Legislativa, na manhã de ontem.

O efetivo do policiamento de trânsito caiu em 10 anos de 1.243 para 445 agentes, responsáveis pela autuação de motoristas, informou o comandante do BPTran, tenente-coronel Roberto Lemos. Segundo ele, a prioridade do batalhão são o atendimento de ocorrências e operações como a realizada ontem à tarde, no cruzamento das avenidas Afonso Pena e Brasil, que parou motociclistas.

“Não temos condições de colocar policiais nos cruzamentos. Contamos com a ajuda da Guarda Municipal e da BHTrans para controlar o trânsito e garantir a fluidez. Precisamos principalmente de recursos tecnológicos, o efetivo não está adequado”, disse Lemos.

Durante a audiência, o oficial afirmou que os militares são muito cobrados para fiscalizar cruzamentos da cidade, o que  seria possível se houvesse pelo menos um efetivo de 3 mil militares revezando em três turnos. O número de agentes seguiu na contramão do aumento da frota. Em 2002, BH tinha 752 mil veículos. No ano passado, entretanto, chegou a 1,53 milhão de veículos, aumento de 111%.

O comandante informou que a redução do efetivo ocorreu devido à municipalização do trânsito, quando a Guarda Municipal e a BHTrans passaram ajudar no controle, operação e fiscalização.

Já a BHTrans tem cerca de 400 agentes que monitoram e operam as vias de BH. Desde 2009, por decisão do Tribunal de Justiça, a empresa não pode multar motoristas. O diretor de operações Célio Freitas Bouzada, que participou também da audiência pública, defendeu o aumento do efetivo. “A cidade perdeu a capacidade de fiscalização. Quando se compara com o número de carros que circula pela cidade, a gente vê que o de agentes de fiscalização diminuiu ou não avançou. É necessário rever essa quantidade”, afirmou.

A audiência organizada pela Comissão de Segurança Pública contou com a participação de outras entidades responsáveis pelo trânsito na capital e na Grande BH, como DER e a Agência de Desenvolvimento da Região Metropolitana de Belo Horizonte. Na discussão, foi apresentado um panorama sobre a situação do trânsito da capital e os problemas que prejudicam a sua fluidez.

O diretor de planejamento da BHTrans reforçou a importância da integração entre os municípios da região metropolitana e propôs uma legislação em comum. Buzano defendeu investimentos em sistemas estruturais de transporte, como o BRT e o metrô. “É preciso chamar a atenção também para a educação dos usuários, como o problema da fila dupla, de motoristas que param em faixa, o que reflete imediatamente no trânsito”, disse.


FLUIDEZ DE VEÍCULOS
Propostas do comandante do Batalhão de Trânsito de BH, tenente-coronel Roberto Lemos, para melhor o trânsito
Bicicletários próximos a estações
Pontos para locação de bicicletas no Centro da cidade
Incentivo ao deslocamento a pé em pequenos percursos
Instalação de pontos de carona solidária
Divulgação, por meio de mapas, de rotas alternativas
Criação de horários alternativos para entrada e saída dos trabalhadores das regiões mais afetadas
Estacionamentos públicos próximos a estações de ônibus e de metrô
Promoção das empresas de táxis
Incrementação da onda verde (velocidade de 60 km/h nos principais corredores sem retenção por causa do sinal vermelho)
Incentivo a campanhas de conscientização de motoristas

Fonte: Jornal Estado de Minas

sábado, 11 de maio de 2013

BH/MG - Guarda Municipal participal de Simulação de Emergência para a Copa das Confederações e Copa do Mundo

Foto: Alexandre Guzanshe/EM/D.A Press

De olho na Copa do Mundo e Copa das Confederações, equipes dos hospitais João XXIII, Risoleta Neves, Eduardo de Menezes e Odilon Behrens entraram em campo e simularam situações de urgência e emergência no recém-inaugurado Mineirão, na manhã deste sábado.

Conclusão de um treinamento ministrado por profissionais da França, em uma parceria entre Secretaria de Estado de Saúde de Minas Gerais (SES/MG), a simulação envolveu médicos e enfermeiros dos Samus de BH e várias regiões do estado como Betim, Contagem, Sete Lagoas, Ouro Preto e Montes Claros. A operação também contou com agentes das Polícias Militar e Civil, BHTrans, Corpo de Bombeiros e Guarda Municipal. Além do efetivo, participaram do treinamento 40 ambulâncias e dois helicópteros.

No treinamento, foi simulada uma briga entre dois grupos de torcedores. O pisoteamento envolveu cerca 155 vítimas, classificadas em três níveis de atendimento: vermelha (atendimento imediato com risco de morte), amarela (atendimento de urgência sem risco de morte), verde (vítimas machucadas, conscientes e andando), e preta (óbitos).

Durante o treinamento, as vítimas foram triadas na esplanada do estádio conforme o estado de saúde, e então encaminhadas para os Postos Médicos de Avançado (PMAs), instalados no local. A simulação teve início dentro do estádio e seguiu para os hospitais referência, onde o atendimento teve continuidade.

"Esta é mais uma etapa de preparação para as duas Copas, mas também uma atividade de aquisição de know-how muito relevante para a sociedade mineira e brasileira", afirmou o secretário de estado de saúde, Doutor Antônio Jorge Souza Marques, que presenciou o treinamento. "Estamos formando médicos e enfermeiros de catástrofe e as ações no aeroporto e mineirão são a prova prática para este curso", acrescentou.

Durante o simulado foram encenados os procedimentos reais de recuperação da atenção, a intervenção do Corpo de Bombeiros de Minas Gerais e das equipes avaliadas, o agravamento de cada paciente, a preparação dos estabelecimentos hospitalares e a comunicação com as autoridades sanitárias e diferentes órgãos envolvidos. 

Fonte: Superesportes MG

sexta-feira, 10 de maio de 2013

MTE - Consulta Pública sobre Regulamentação de Operações Perigosas - até dia 17/06/2013

por Dra. Sandra Bossio


O Ministério do Trabalho e Emprego abriu consulta pública para receber sugestões para a redação do texto que vai regulamentar o adicional de periculosidade dos trabalhadores da segurança patrimonial e vigilantes.

As sugestões deverão ser encaminhadas até o dia 17 de junho de 2013, para o endereço do Departamento de Segurança e Saúde no Trabalho - Esplanada dos Ministérios - Bloco "F", Anexo "B", 1º andar, sala 107, cep 70.059-900 - Brasília - DF ou através do email normatizacao.sit@mte.gov.br. 




ANEXO III da NR-16
(Proposta de Texto)

ATIVIDADES E OPERAÇÕES PERIGOSAS COM EXPOSIÇÃO PERMANENTE A ROUBOS OU OUTRAS ESPÉCIES DE VIOLÊNCIA FÍSICA

1 - As atividades ou operações que impliquem em exposição dos profissionais de segurança patrimonial ou pessoal a risco acentuado e permanente a roubos ou outras espécies de violência física são consideradas perigosas.

2 - São considerados profissionais de segurança pessoal ou patrimonial os trabalhadores que atendam as seguintes condições:

a) capacitados pelos cursos de formação específica, extensão ou reciclagem, dentro do prazo de validade;

b) empregados das empresas prestadoras de atividades de segurança privada ou das empresas que possuem serviço orgânico de segurança privada, devidamente registradas e autorizadas pelo Ministério da Justiça, conforme regulamentação vigente;

c) aprovados em exames de saúde e de aptidão psicológica.

3 - As atividades ou operações de risco acentuado e permanente a roubos ou outras espécies de violência física são as constantes do quadro abaixo:

ATIVIDADES OU OPERAÇÕES
DESCRIÇÃO
Vigilância patrimonial
Preservação do patrimônio em estabelecimentos públicos ou privados e a incolumidade física de pessoas.
Segurança de eventos
Manutenção da ordem e da segurança em espaços comunais públicos ou privados, de uso comum do povo.
Segurança nos transportes coletivos
Segurança nos transportes coletivos terrestres destinada a manutenção da ordem.
Segurança de estabelecimentos prisionais
Gestão e operação interna de segurança de estabelecimentos prisionais.
Segurança ambiental e florestal
Policiamento da conservação de fauna e flora natural.
Transporte de valores
Execução do transporte de bens ou valores.
Escolta armada
Acompanhamento para a proteção de qualquer tipo de carga, de valores ou de pessoas.
Segurança pessoal
Guarda e preservação da integridade física de pessoas ou grupos.

4 - Não são consideradas atividades e operações perigosas para efeito do recebimento do adicional de periculosidade:

a) as atividades de ensino, exercidas com a finalidade de formar, qualificar, capacitar, especializar ou reciclar os profissionais de segurança patrimonial ou pessoal, realizadas em empresa ou escola de formação na área;

b) as atividades de gestão dos profissionais de segurança patrimonial ou pessoal, quando não expostos às condições perigosas;

c) as operações de telecontrole ou outros sistemas de monitoramento eletrônico de segurança, quando não expostos a condições perigosas e/ou quando não procedam revistas pessoais.